Como se mede o QI

0
70

Vamos entender Como se mede o QI. A neuropsicóloga catarinense Leninha Wagner, especialista em testes de QI, explica como se define a inteligência: “Ela é a ‘qualidade mental’ que consiste nas habilidades de aprender com a experiência, adaptando-se a novas situações, compreendendo e gerenciando conceitos abstratos e o uso do conhecimento para manipular o próprio ambiente”. Já o Quociente de Inteligência, ou simplesmente conhecido por QI, “se refere a uma medida padronizada da capacidade cognitiva de uma pessoa, estipulada cientificamente a partir de testes”.

Design sem nome 95
Cérebro. Imagem: Canva

A neuropsicóloga aponta as características de pessoas com alto QI. “Pessoas com altas habilidades, ou superdotados, ou ainda gênios, podem ter um comportamento super normal socialmente. Porém, certamente irão apresentar uma maior velocidade no processamento de dados”.

Inteligentes acima da média são apenas 2%

A fórmula do QI é feita pela divisão da idade mental pela idade cronológica, sendo que esse número deve ser multiplicado por 100. Parece complicado, e na prática é difícil determinar a idade mental de uma pessoa. É para isso que servem os testes.

O que consiste no teste de Q.I

O teste de Q.I. consiste em uma série de perguntas formuladas para mensurar o Quociente de inteligência das pessoas. Esse teste foi inspirado nos trabalhos feitos pelo pedagogo e psicólogo francês Alfred Binet. Ele observou que as crianças aprendiam com ritmos diferentes, então Alfred formulou uma avaliação que seria capaz de separar os alunos em “grupos de idade”, desta forma, se um aluno tirasse uma nota relativa aos alunos de idade superior era considerado um destaque, se o aluno tirasse uma nota inferior receberia ajuda especial. Assim, em 1905, surgiu a primeira escala de inteligência, que posteriormente foi aprimorada pelo psicólogo Lewis Terman, da Universidade de Stanford em 1916, então esta escala passou a ser chamada de Stanford-Binet.

Design sem nome 96
Criança inteligente. Imagem: Canva

Porém, para alguns pesquisadores a ideia de Q.I. não é a única hipótese para inteligência, mas somente uma parte dela. Segundo o professor e psicólogo Howard Gardner, existem nove inteligências que o ser humano pode possuir que são corporal-cinestésica, espacial, linguística, musical, lógico-matemática, interpessoal, intrapessoal, naturalista e existencialista. Além disso, especula-se a formulação de uma décima inteligência, a digital.

Desta forma o teste de Q.I. somente seria capaz de identificar a inteligência linguística e a lógica.

A inteligência é tradicionalmente definida como uma habilidade mental que inclui um conjunto de habilidades distintas.

Com o tempo, surgiram diferentes maneiras de definir inteligência. Um que se destaca por sua popularidade é o chamado: “Teoria das inteligências múltiplas”, estudado por Howard Gardner e caracterizado por 2 premissas:

  • O conceito de inteligência não é limitado.
  • Existem diferentes tipos de inteligência e cada um deles é autônomo o suficiente para ser considerado uma inteligência separada.

Os testes proporcionam uma ampla compreensão do funcionamento cognitivo do indivíduo, identificando talentos e deficiências intelectuais.

Uma avaliação neuropsicológica completa deve ser complementada com outros instrumentos, habilidades acadêmicas, linguagem, humor, atividades da vida diária e funcionamento adaptativo.

A compreensão do funcionamento global deverá auxiliar no tratamento multiprofissional do paciente, através de um processo interativo entre as dificuldades cognitivas ou limitações funcionais e as altas habilidades ou possibilidades adaptativas que lhe são disponíveis no seu dia-a-dia. (Silverman, 2007).

Considerações finais

Embora o QI esteja muito relacionado com questões genéticas, existem vários estudos que indicam que também pode ser influenciado pelo estilo de vida de cada pessoa. Por exemplo, ter um emprego desafiador, estudar novos temas ou praticar artes, como música ou pintura, podem ajudar a ter um QI mais elevado. Se uma pessoa não consegue aprender ou desenvolver bem alguma área, não significa que ela não seja inteligente, talvez ela apenas esteja em uma área errada ou a abordagem que está sendo utilizada não é adequada para ela.

 

Fonte : Kdicas